Sunday, June 26, 2016

Desempregados podem ter direito a transporte gratuito em Belo Horizonte

Bhaz: "Os desempregados podem ter direito a transporte público gratuito em breve na capital mineira. Ao menos é o que pretende um projeto que tramita atualmente na Câmara dos Vereadores de BH cujo objetivo é liberar a locomoção de quem está sem emprego por até três meses."

Monday, May 9, 2016

Os desafios da mobilidade urbana no Brasil

R7 Blog QG do Enem: "Os ônibus realizam 87% das viagens por transporte público no País e transportam 70% dos brasileiros, segundo a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU). Apesar disso, contam com menos subsídios ? não somente no Brasil, mas em toda a América Latina ? do que os sistemas de transporte coletivo dos países industrializados com renda per-capita maior que a latino-americana, conforme levantamento da Organização Internacional para o Transporte Público (UITP, na sigla em inglês). Aqui, os custos operacionais de sistemas de transportes públicos são quase totalmente cobertos pela venda de passagens, mostra pesquisa realizada pela entidade em metrópoles latino-americanas."

Saturday, May 7, 2016

G1 - Após protestos, DFTrans vai reabrir cadastro do Passe Livre em junho - notícias em Distrito Federal

notícias em Distrito Federal: "Após uma semana marcada por protestos de alunos, o DFTrans confirmou nesta sexta-feira (6) que vai reabrir o prazo de cadastramento para o Passe Livre Estudantil. O formulário estará disponível a partir de 1º de junho, "por tempo indeterminado". A inscrição é gratuita e feita pela internet. A reabertura faz parte do acordo com estudantes que protestavam pela expansão do benefício."

Saturday, April 9, 2016

Professor vê influência do Passe Livre em manifestações sobre impeachment

DM.com.br: "O Movimento Passe Livre (MPL) deu início às mobilizações que, em junho de 2013, levaram milhares de pessoas às ruas em São Paulo e a passeatas em todo o país. Defensor do transporte público gratuito, o movimento organizou protestos contra o reajuste das tarifas de ônibus, trens e metrô na capital paulista. Os reflexos daquele momento podem ser percebidos ainda hoje, diz o filósofo e professor de gestão de políticas públicas da Universidade de São Paulo (USP), Pablo Ortellado, que coordena pesquisas sobre as manifestações de rua. “A partir de 2013, com a dimensão que ganhou, a mobilização de rua se volta para o repertório político”, afirma, em entrevista à Agência Brasil."

Saturday, March 26, 2016

Não Pago: Quem somos?

Não Pago: Quem somos?: "O Movimento Não Pago surge no início de 2011, em mais uma das tentativas de jovens estudantes e trabalhadores barrarem o aumento abusivo do transporte coletivo na capital Aracaju. Neste ano a passagem aumentou para R$2,25. Isso significa que um trabalhador que ganha um salário mínimo por mês e vai e volta para o trabalho por 24 dias no mês, tem um gasto de R$54,00, ou seja, 10% da sua renda. Isso se ele não precisar ir para qualquer outro lugar, se divertir nos finais de semana e ainda pagar a passagem dos filhos. Isso tudo por mês deve pesar muito no orçamento de uma família de trabalhadores. É justo que um trabalhador gaste essa quantia por um péssimo sistema de transporte?"

Saturday, February 27, 2016

Com pouco público, MPL realiza ato contra a tarifa

R7 São Paulo: "O MPL (Movimento Passe Livre) realizou, nesta quinta-feira (25), o Festival Pula Catraca para que a população pudesse se manifestar contra o aumento da tarifa do transporte público em São Paulo para R$ 3,80. O ato se concentrou na frente do Teatro Municipal de São Paulo e reuniu cerca de 200 pessoas. Com participação de artistas que apoiam o movimento, os manifestantes dançaram, cantaram e protestaram."

photo Giorgia Cavicchioli/R7

Thursday, February 25, 2016

Repressão policial em protestos mira Passe Livre e estudantes

Notícias - R7 São Paulo: "Nesta quinta-feira (25), MPL (Movimento Passe Livre) faz novo protesto contra o aumento nas tarifas do transporte público em São Paulo, após uma série de atos reprimidos com violência em janeiro. E o problema enfrentado pelo grupo não é novidade. Desde 2013, a capital paulista tem sido palco de manifestações, convocadas por diferentes entidades, com públicos e vieses políticos diferentes. Impulsionados pela divulgação nas redes sociais, muitos desses atos atraíram milhares de pessoas, como aqueles que pediram o impeachment da presidente Dilma Rousseff em 2015."